A diabetes não é apenas um risco para os idosos, como algumas pessoas podem achar. Há quem descubra a doença logo nos primeiros anos de vida (diabetes tipo 1), e quem desenvolva com o passar dos anos (diabetes tipo 2), devido a fatores genéticos ou maus hábitos alimentares.

Quem tem diabetes tem resistência à insulina, que é o hormônio responsável por regular a glicose no sangue, garantindo a energia do organismo, com a falta ou o baixo nível de insulina, ocorre um aumento de glicose no sangue. Essa doença é crônica e não tem cura, mas é possível conviver de maneira saudável após o diagnóstico, tendo uma vida comum, apenas com alguns ajustes.

E a grande mudança na vida do diabético está relacionada à sua alimentação. Pois é, é muito importante ter consciência e disciplina, ficando  distante do açúcar, mas não é apenas do açúcar branco que usamos para adoçar receitas, mas também o mel, outros tipos de açúcar, e vários alimentos industrializados. Também não pode abusar do adoçante.

Nas refeições, é importante atentar par aos carboidratos consumidos, e não repetir vários na mesma refeição. Também vale optar pelos carboidratos integrais, pois as fibras auxiliam na liberação do açúcar que vai para o sangue.

Com o tempo, a mudança de hábitos vira rotina. Agende sua consulta nutricional para ver o melhor planejamento direcionado para você

Médica de Família - CRM 8409 / RQE 3338 - Graduada na Universidade Potiguar - UNP - Pós-Graduada em Medicina de Família e Comunidade na Universidade Estadual do Rio Grande do Norte - UERN - Especialização em Pediatria no Hospital da Criança-CE (Em andamento) - HC-CE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *